.

A Universidade do Estado de Mato Grosso (Unemat) reservará 5% de todas as vagas oferecidas nos seus cursos de graduação, a partir do próximo vestibular organizado pela Instituição, para indígenas. Com isso, a Unemat passa a destinar vagas para negros ou pardos, índios e alunos de escola pública nos cursos de graduação. A medida foi aprovada pelo Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (Conepe) na sessão ordinária realizada nos dias 22 e 23 deste mês em Cáceres.

Com a aprovação da resolução que institui a Política de Ações Afirmativas da Unemat, a população indígena poderá concorrer em vagas específicas em todos os cursos de graduação da Instituição. A Unemat, já oferece há mais de uma década cursos específicos e diferenciados exclusivamente para indígenas, mas são cursos de licenciaturas oferecidos no câmpus de Barra do Bugres.

Para concorrer às vagas destinadas aos indígenas, os candidatos deverão se autodeclarar índios e, no ato da matrícula, apresentar uma declaração da comunidade indígena reconhecendo-o como integrante da etnia/povo indígena.

A criação de um programa de ação afirmativa que atende aos povos indígenas, amplia a integração e valoriza essa comunidade, dando acesso ao ensino superior em cursos não apenas de licenciaturas, mas também de bacharelados. No caso da política de cotas na Unemat nos cursos de graduação serão reservados os seguintes percentuais: 5% para indígenas, 25% para negros ou pardos, 30 % para alunos de escola pública e 40% para ampla concorrência.

No caso de ingresso nos cursos da Unemat por meio do Sistema de Seleção Unificada (SiSU), adotado pela Unemat para o ingresso nos primeiros semestres de cada ano, a distribuição de vagas para os ingressantes em cursos com oferta de vagas em números de 30 ou 50 irão seguir o arredondamento adotado pelo sistema específico do Ministério da Educação (MEC).