.

Nós membros do Fórum Estadual de educação Escolar Indígena de Mato Grosso do Sul, FOREEIMS, saudamos a todos os parentes, professores indígenas e demais parceiros da Educação Indígena, desejando um ano letivo de muito sucesso.

Comunicamos que o FOREEIMS, uma organização dos professores indígenas de Mato Grosso do Sul, Povos do Pantanal e Cone Sul, realizou a primeira reunião de 2017 para estudo e discussão do perfil para o concurso diferenciado para educação indígena com o objetivo de instruir a minuta do edital, tendo em vista as conclusões do Grupo de Trabalho que se reuniu durante o VI Encontro do Fórum em Dourados, MS.

O parecer técnico, resultado do trabalho da Coordenação, será submetido à aprovação da Assembleia Geral do Fórum, que se reunirá na Aldeia Bananal, durante o VII Fórum de Professores Indígenas de Mato Grosso do Sul, no município de Aquidauana, MS.

O Encontro está agendado para a data de 10 a 13 de maio de 2017.

Além do Fórum, o parecer técnico será submetido aos professores indígenas durante a II Conferência Regional de Educação Escolar Indígena, CONEEI, que reunirá os educadores indígenas dos Territórios Etnoeducacionais do Povos do Pantanal e Cone Sul.

Destacamos a necessidade de discussão coletiva de qualquer proposta que afete a vida e os direitos dos povos indígenas, já previstos na Constituição e legislação internacional como, por exemplo, a Convenção 169 da OIT. A consulta livre e informada não é uma bondade do Estado, mas um direito e imperativo ético, ou seja, a comunidade dos afetados precisa ser consultada, antes de qualquer decisão. A consulta implica ouvir o maior número possível de comunidades e educadores indígenas durante o tempo que for necessário.

O último encontro de professores indígenas em Mato Grosso do Sul reuniu mais de 600 educadores, que, durante três dias, deram suas contribuições, já transcritas pela coordenação do FOREEIMS e prontas para instruir a redação do edital a ser publicado.

Ressaltamos que este encaminhamento foi pedido ao Fórum pela própria Secretária Estadual de Educação, em conformidade ao direito dos povos indígenas a uma educação do seu jeito, garantida na Constituição Federal de 1988.

Contamos, parente, pai, mãe, estudante e educador, com seu apoio e colaboração. Convocamos todos vocês para a luta, pois o direito à educação diferenciada, o respeito a autodeterminação e a vontade de nossas comunidades, não pode ser violado, como, infelizmente, tem sido a tradição histórica na América Latina desde que chegaram os colonizadores. Entendemos por colonização a violação do direito por parte do Estado em nome de interesses econômicos e políticas autoritárias. Não podemos deixar de nos manifestar, pois este desrespeito afeta nosso modo-de-ser e condena nosso futuro bem viver.

Por uma educação do nosso jeito. Nenhum direito é concedido, somente conquistado!

Dourados, MS, 24 de janeiro de 2017.

Assinam,

Teodora de Souza

Gilmar Veron Alcântara

Cledeir Pinto Alves

José Leandro Figueredo

Márcio S. Rodrigues

Linda Juca Morales

Gerson Pinto Alves

Maria Regina de Souza

Lidimara Francisco

Cristiane Machado da Silva

Noemi Francisco

Celia Reginaldo Faustino

Lourival Pinto Alcântara

Antonio Carlos Seizer

Maria de Lourdes Elias

Daniele Lourenço

Helena Marques

Evelyn Hékere

Auceli Marques

Etelvino Kadiwéu

Valdenir de Souza

Rosenildo Barbosa

Eliel Benites

Renata Castelão

Odaleia Reginaldo

Valdelei Oliveira

Ana Cristina de Souza

Raimundo Vogarim

Estevinho Tiago

Arlindo Marcelino

Fabio Concianza

Anastácio Peralta

Michele Alves Machado

Joel Reginaldo

Reinaldo Rodht

Lídio Cavanha

Antonio Carlos Benites