“Nós povo Ka’apor estamos acompanhando a luta de vocês parentes Krepym. Estamos revoltados com o descaso, autoritarismo e incompetência como a seduc do maranhão vem tratando a educação dos povos indígenas.

A luta de vocês é justa e necessária. Eles falam em democracia e que escuta a gente, mas quando a gente faz movimento pra cobrar nossos direitos, só mentem, fazem promessas, boicotam, perseguem e criminalizam as nossas lideranças e apoiadores. Eles nunca tiveram pessoas capacitadas para trabalhar com educação escolar indígena, nunca cumpriram os TACs, nunca tiveram um plano estadual de educação escolar indígena construído com os diferentes povos do nosso Estado.

Cria conselho indígena só pra dizer que escuta os indígenas, compra parente para concordar com eles em tudo e ficar contra as lideranças que exigem, cobram e lutam por autonomia. Não respeita, não reconhece e ainda ataca nossas lideranças e organizações internas.

Todas as vezes que o governo faz isso com as nossas lideranças e organizações esta sendo preconceituoso, racista com a gente. Quem tem que dizer e fazer o que é melhor pra nós somos nós. Apenas exigimos que o governo garanta condições e respeito com as nossas formas de se organizar e fazer educação. Nenhum funcionário do governo pode determinar e fazer educação escolar indígena pra nós.

Assim como esta acontecendo com vocês parente eles fazem com a gente. Não aceitamos calunias, mentiras e criminalização contra nossas lideranças, nossas formas de organizar nossa educação, contra nossos apoiadores.

A nossa luta também continua pela contratação imediata dos 15 professores ka’apor e 06 formadores da nossa EJA que a seduc demitiu injustamente; reconhecimento de nossos gestores Ka’apor; exigimos transporte escolar para nossa EJA Ka’apor; regularização de nossa merenda escolar e respeito ao nosso cardápio; exigimos reconhecimento de nosso Centro de Formação Saberes Ka’apor e nossa Formação de Educadores Ka’apor que há quatro anos orienta nossa educação com nosso Projeto Pedagógico e Curricular de acordo com nossa língua e cultura.

Parentes Krepym vamos seguir firmes na nossa luta. Esses karai/kupem do governo pensam que falando mentiras contra a gente, comprando parentes para concordar com eles e dividindo a gente vai nos derrubar. Não vamos desanimar. Nossa luta é justa e necessária.

Centro de Formação Saberes Ka’apor, 12 de novembro de 2017″.

Conselho de Gestao Ka’apor 

Conselho Pedagógico do Centro de Formação Saberes Ka’apor.

Foto: Conselho de Gestao Ka’apor