O Grupo de Apoio aos Povos Kaiowa-Guarani (GAPK) promove nesta sexta-feira, a partir das 13h, uma consulta sobre o tema saúde mental. O evento será na sede da Associação de Jovens Indígenas (AJI, na Aldeia Bororó, ao lado do Centro de Referência de Assistência Social (Cras).

O psiquiatra e autor de vários livros, Luis Altenfelder da Silva Filho vai ministrar uma palestra. O encontro é coordenado pela enfermeira da Sesai, que também é presidente da AJI, Indianara Ramires, Maria de Lourdes Beldi de Alcântara e Walter Moure.

A mesa redonda terá, a-inda, participação do assis-tente social Nilson Ca-breira; da professora Diana Davila da Silva, da coorde-nadora de oficinas Ana Cláudia de Souza, da assis-tente social do Cras Tatiane Martins Gomes e dos agentes de saúde indígena do Sesai/Gapk, Maria de Fátima Cavalheiro, Eliete da Silva, Sarita Gonçalves, Lucimar Garcia, Paulina Cavlheiro, Branda Peixoto, Jéssica Ramires e Taysa Gonçalves. O objetivo do encontro acerca da saúde indígena, que vai reunir educadores, estudantes e agentes de saúde da Reserva de Dourados, é construir um diálogo intercultural sobre o tema.

Segundo os organizado-res, muito embora a Constituição de 1988 declare que a população indígena tem direitos à Saúde, Educação e Justiça, isto não ocorre de fato. “Em relação à saúde indígena há um agravante. Além da Lei Arouca ser apliada parcialmente, os profissionais da saúde indígena atuam exclusivamente a partir dos protolocos biomédios. Com relação à saúde mental é ainda pior, por-que não considera os direi-tos indígenas”, diz.

Serviço

Mais informações com Indianara Ramires Macha-do: 99956.7685 e com Itacir Pastore: 99622.9285. Matéria de 14/09/2018, 09h48, DouradosAgora.