Os povos indígenas seguem manifestando-se publicamente contra o desmonte da Fundação Nacional do Índio (Funai) tocada a todo vapor pelo governo de Michel Temer. A Federação das Organizações e Comunidades Indígenas do Médio Purus (Focimp), em nota pública, repudia o fechamento de três Frentes de Proteção Etnoambiental dos Povos Isolados – Hi’Merimã, Katawixi e Suruwaha.

“(…) coloca todos os povos indígenas da região do Rio Purus em completo abandono e desassistência”, diz trecho da nota. A Focimp repudia também o encerramento dos trabalhos de Coordenações Locais da Funai país afora. Na próxima semana, terá início o Acampamento Terra Livre (ATL), em Brasília, que reunirá ao menos 1500 indígenas do Brasil.

 

Leia na íntegra:

 

NOTA DE REPÚDIO

A FOCIMP – Federação das Organizações e Comunidades Indígenas do Médio Purus vem a público repudiar a decisão do presidente da FUNAI em relação às medidas tomadas na região do Médio Rio Purus sem consulta aos povos indígenas, conforme a convenção 169 da OIT.

Repudiamos o fechamento das Coordenações Regionais da FUNAI (Cr’s) em todo o Brasil e das Frentes Etno Ambiental de Proteção aos Povos Isolados Hi’Merimã, Katawixi e Suruwaha, o que coloca todos os povos indígenas da região do Rio Purus em completo abandono e desassistência e principalmente aos povos isolados em situação de vulnerabilidade uma vez que os entornos das terras onde habitam esses povos estão sob grande pressão por interesses exploratórios.

A FOCIMP vem deixar claro que não vai ser conivente com esse golpe de desmonte do desgoverno Temer que não nos representa e destrói todos os nossos direitos seja na saúde, educação ou na demarcação de nossas terras, incentivando assim conflitos e abrindo as portas ao agronegócio que rouba, mata e polui nossas terras e águas.

Exigimos respeito e estaremos lutando até o último índio em defesa de nossos direitos.

Lábrea 17 de abril de 2017.


MARCILIO BATALHA APURINÃ

Coordenador Executivo

FOCIMP – Federação das Organizações e Comunidades

Indígenas do Médio Purus

 

Fonte: http://www.cimi.org.br/site/pt-br/?system=news&action=read&id=9215