Homenagem a um amigo e parente que se foi

Clodiodi ou guri, como era conhecido, foi brutalmente assassinado
por proprietários de terra frios, calculistas, que planejaram este triste e lamentável fim.
Hoje completa um ano que você partiu.
A saudade aumenta a cada dia. Não temos palavras para descrever tamanha dor.
Guri era um jovem muito alegre, sorridente, e por onde passava arrastava sorriso nas multidões.
Sua voz silenciou. Seu sorriso se calou.
Hoje seus amigos, parentes e comunidade choram pela sua perda,
uma perda tão repentina e tão precoce.
Você foi um grande amigo, sentimos muito pela sua partida.
Guerreiros não morrem, sempre estarão vivos na lembrança e na memória.
Guerreiros viram estrelas que nunca perdem o brilho e iluminam nossos caminhos.

Por Cristiano Vera Guarani Kayowá
Reserva Indígena de Caarapó (MS), 14 de junho de 2017
Poema escrito em memória há 1 ano da morte de Clodiodi Aquileu Rodrigues de Souza

Fonte: http://www.cimi.org.br/site/pt-br/?system=news&action=read&id=9337