O Conselho Indígena dos Kanamari do Juruá e Jutaí (CIKAJU) e a Associação do Povo Kanamari do Vale do Javari (AKAVAJA), em parceria com o Centro de Trabalho Indigenista e com a Funai, realizaram, entre os dias 07 e 09 de junho, o IV Encontro Kanamari.

Realizado na Aldeia Paraíso, Terra Indígena Kanamari do rio Juruá, o evento contou com a presença de lideranças e representantes do povo Kanamari de aldeias localizadas nas bacias dos rios Jutaí, Juruá e Itacoaí, nas Terras Indígenas (TIs) Kanamari do Rio Juruá, Mawetek e Vale do Javari, e também representantes do povo de recente contato Tyohom-dyapa, e dos povos Madiha (Kulina) e Deni, vizinhos aos Kanamari.

Em meio a um processo mais amplo de articulação do povo Kanamari de diferentes bacias hidrográficas para a discussão da gestão de suas terras e fortalecimento de sua organização política e cultural, foram discutidas diversas questões ligadas à proteção de seus territórios, à educação, saúde e direitos sociais.

Na carta final do encontro é denunciada a presença de invasores nas TIs, ocupadas pelos Kanamari, Tyohom-Dyapa e por povos isolados. Segundo os Kanamari, essas invasões para extração de madeira, caça e recursos pesqueiros são sistemáticas e  têm colocado em risco não apenas sua disponibilidade de recursos ambientais, mas também sua integridade física.

Em relação à educação demandam ao Ministério Público Federal e a Polícia Federal a abertura de investigação sobre a aplicação de recursos destinados a Educação Escolar Indígena pelas gestões atual e anterior do município de Eirunepé(AM), pois ainda que o município receba regularmente os recursos federais destinados a implementação da educação escolar indígena, desde janeiro deste ano as aldeias estão sem professores contratados, não existem escolas construídas e não estão disponíveis merenda, e materiais didáticos e escolares suficientes.

No âmbito da saúde denunciam a morte de mais três pessoas do povo de recente-contato Tyohom-Dyapa no último ano, devido à falta de atenção de saúde adequada na aldeia Jarinal, na Terra Indígena Vale do Javari. Esse povo tem visto sua população gradativamente diminuir em função de doenças que poderiam ser tratadas. Atualmente, eles somam apenas 35 indivíduos, quantidade um pouco menor do que a estimada no final da década de 70, há 40 anos atrás.

No campo dos direitos sociais denunciam a apropriação indébita de cartões (Bolsa Família, INSS, Aposentadoria etc), configurando a existência de uma rede de explorações e fraudes contra o povo Kanamari e Kulina, e solicitam a intervenção do Ministério Público Federal e da Polícia Federal.

Acesse abaixo a Carta Final do Encontro:

Carta Final – IV Encontro Kanamari

Fonte: http://trabalhoindigenista.org.br/encontro-kanamari/